Avançar para o conteúdo principal

Vidas



Há meia dúzia de dias, uma pessoa disse que não trocava a vida dela numa cidade transmontana pelo Porto. Não importava que ali ganhasse 485€ e que no Porto lhe oferecessem 2000€, pois ali a qualidade de vida era superior.
Deixou-me a pensar e ainda me incentivou esta minha mudança.


E vocês, trocavam uma grande cidade pelo interior?


Comentários

  1. Eu seria incapaz de trocar a vida da cidade por uma aldeia, adoro ter tudo à mão, ter muitas opções.
    Para mim qualidade de vida é isso, enquanto para outras pessoas é viver longe da confusão.
    Não podemos ser todos iguais:)

    ResponderEliminar
  2. Não há dúvida que a qualidade de vida é outra...

    ResponderEliminar
  3. a qualidade de vida é outra...mas também depende do sítio, há cidades no interior desertas, sem acesso a nada, sem um cinema sequer...eu sei o que isso é não deixava Aveiro por nada...além disso, o Porto é quase uma cidade pequena :) em Portugal não há cidades com pouca qualidade de vida...!

    ResponderEliminar
  4. Depende do que pesa na balança. Recomeçar, não se pode agir de ânimo leve, levianamente.

    :)

    ResponderEliminar
  5. Eu prefiro a cidade mas agora vivo na aldeia e apaixonei-me pelas paisagens.

    ResponderEliminar
  6. Neste momento acho que vivo na situação perfeita: aldeia, mas a poucos minutos da cidade e da praia. Interior não me parece, mas quem sabe um dia ;)

    ResponderEliminar
  7. Hum, não sei. Sou de São Miguel. Aqui a qualidade de vida é muito boa, mas dava tudo por um ar mais cosmopolita, um pouco mais de agitação... :)
    Gosto dos ares da cidade, mas lá está, no dia em que sair de cá acho que morrerei de saudades do conforto e da calma da minha linda ilha :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Porque o vosso comentário vale mil sorrisos!

Mensagens populares deste blogue

Tempo

Temos pressa do tempo.
Pressa para ir aqui ou acolá.
Pressa para que chegue aquela hora ou aquele dia.
Pressa que o tempo nos cure.
Pressa de tudo e de nada que até nos esquecemos de saborear o que o tempo nos dá enquanto não se apressa.
Eu tenho pressa que o tempo passe, não sou diferente dos outros. E adorava saber ter calma e aproveitar os minutos lentos. Talvez um dia o venha a saber, quem sabe,
Sei que num coração partido, o tempo é o melhor amigo como também nos traz uma impaciência por ser demasiado lento.
Há dias melhores, há dias piores, mas os melhores são sempre aqueles que nos abstraímos do tempo e saboreamos o que a vida nos dá, mesmo sendo nas pequenas coisas.
Portanto, que 2017 me traga a sabedoria para apreciar o que o tempo demora a trazer, para no fim, dar-lhe valor.

E hoje...

...sorrio. Não porque estive contigo, mas porque já não quero estar contigo.
É o fechar de um ciclo.

Trabalhar num Call Center

Sempre disse que não queria trabalhar em Call Center. Nunca tinha trabalhado num, mas os testemunhos que chegavam até mim eram bastantes negativos. Contudo, tinha uma amiga que me "entusiasmou", que me disse que ali era diferente dos outros lados e eu lá decidi mandar o CV.
Fui seleccionada, comecei os dois meses de formação e de facto a coisa não pareceu ser assim tão má, nem mesmo no primeiro mês de trabalho. Porém, comecei a verificar que à medida que ia deixando de ser novata, as pressões iam aumentando. Ou era o tempo que demorava nas chamadas, não podemos alongar muito mais dos 5 minutos (e isto já na loucura), ou o tempo que tens de pausa. O horário também começou a ser desgastante, pois entrava as 16h e saía à 1h, basicamente deixei de ter vida própria. Até que no meio de Dezembro fui presenteada com uma bela otite, daquelas que já não me lembrava ter. Estive quase duas semanas em casa para a curar, ainda a meio da baixa tentei ir, mas apenas aguentei duas horas (q…