Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2015

E agora?

Hoje fizemos a mudança para a nova casa.  E como tal está tudo uma confusão. Tralhas e mais tralhas por todo lado.
Hoje também foi o dia de trazer a minha bebé para casa. A Mel tem 4 mesinhas e é uma cadela super amorosa, mas ainda muito assustada. Afinal, é tudo novo para ela.
O pior são os meus outros peludos miaus que também andam estranhos, apesar de ser normal, em se habituarem com ela.
Eu sei que não iam ser melhores amigos logo de imediato,  e, se calhar, em meia dúzia de horas só se terem virado contra ela uma vez até nem foi muito negativo. Obviamente que estou bastante preocupada caso eles não se entendam, mas afinal há tantas pessoas pessoas e abrigos que têm ambas as espécies e eles lá se entendem.Alguém que já tenha passado por esta situação que me possa dar umas dicas?

Questões parvinhas #1

Não sei porquê que o veterinário dos meus peludos não é como este de Bondi!

O drama

O drama. O horror. O pânico de mudar de casa. Empacotar, transportar, desempacotar, arrumar e pelo meio limpar. Em ano e meio, esta é a 4ª muda de casa. Não entendo como é possível juntar em tão pouco tempo coisas e mais coisinhas!



Música para os meus ouvidos #1

A voz deste rapaz é qualquer coisa. Tem uma sonoridade a Paz. Boa noite!

O meu rico cabelinho!

Pior é quando fazem o mais difícil. Cortam e deixam sem corte e uma pessoa só quer andar 24h com gorro. Por favor, fada dos cabelos, faz com que o meu cabelo cresça rapidinho para daqui a um mês ir ao Porto, dar um corte bonito, já que nesta santa terra não há um cabeleireiro que se aproveite!!!!

Olá olá!

O tempo passa a correr e desejamos que o dia tenha 48h para assim conseguirmos fazer tudo o que gostaríamos. Na verdade, o meu precisava de 72h e, claro, eu tinha que ter muita energia. Porém, só tem 24h e há coisas que vão ficando para segundo, terceiro, quarto plano e o mundo blogger assim tem ficado, mas eu não me esqueço de vocês!  A vida anda um bocadinho de pernas para o ar, aliás, acho que anda sempre quando as coisas não correm como queremos. E vamos lá resumir: A loja anda tranquila, no que toca a clientes, todavia todos os comerciantes queixam-se disso e eu acredito. Na realidade não se vê ninguém nas ruas. As pessoas enfiaram-se em algum lado, sabe-se lá onde. Contudo, o Natal até correu bem. Lá fiz o esforço (desnecessário) de durante o mês de Dezembro abrir sábados de tarde e domingos, o que significou um acumular de cansaço e quando chegou o trabalho a sério na véspera de Natal foi difícil de ter energia para todas as encomendas que, felizmente, tivemos. Agora vamos lá …