Avançar para o conteúdo principal

Um mau beijo é insignificante quando gostamos de alguém ou pode arruinar a química que podia existir até essa altura?

Comentários

  1. Hum... se for só um ainda vá que não vá...mas se for constante acho que a coisa acaba por morrer um bocadinho....

    ResponderEliminar
  2. um mau beijo resolve-se, um mau hálito é pior...eheheh

    ResponderEliminar
  3. Bem visto... pode depender do momento sei lá :/ Mas que pode arruinar... isso acho que sim!

    ResponderEliminar
  4. eu já gostei de um rapaz durante anosssss e depois um dia lá consegui um beijo e fiquei decepcionada....pronto acabou-se logo ali...tanto tempo e depois aquilo!!!
    eheheh

    ResponderEliminar
  5. É um bocado difícil responder, mas quando há sentimento verdadeiros, não acredito que estrague a relação.

    ResponderEliminar
  6. Espero que a tua pergunta não tenha por base factos reais...
    Já recebi beijos menos bons e fiquei decepcionada. Lol, uma vez um rapaz acusou-me de usar muita língua (quando na realidade a dele é que permanecia na inércia total) haha... mas é como a Maria diz, antes um mau beijo (que sempre se resolve) do que um mau hábito :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Porque o vosso comentário vale mil sorrisos!

Mensagens populares deste blogue

Novidade Fresquinha e um Bom Fim-de-semana!

E a novidade é que arranjei trabalho. Não o que queria, mas para já é melhor do que estar em casa.  Continua a ser em shopping, porém um pouquinho melhor de onde estava anteriormente. Ao menos tenho um fim-de-semana por mês, onde aquecer o almoço/jantar e sem horários estranhos de duas horas de pausa e mais de 10h enfiada no trabalho.
Agora é continuar a procurar algo ainda melhor e em Setembro regressar aos estudos.
Um bom fim-de-semana!

Boa semana #2

Semana de recomeçar os treinos, após meses parada e de ir visitar os pais à aldeia. Coisas simples, mas boas (provavelmente, depois de treinar não vou dizer isso)!
Uma feliz semana!

Desabafo #2

Em momentos de aflição, nós, humanos, temos a tendência de rezar a um Deus que nem sabemos se existe. Ou pelo menos, eu não sei se existe ou se acredito.
Também não quero ser hipócrita de me lembrar Dele, seja Ele quem for, em momentos de desespero ou porque preciso de algo.
Contudo, às vezes gostava de acreditar e a ajoelhar-me ao lado da cama e falar com Ele, mas não consigo. Acho que ainda me faz falta essa fé, que ainda aos 29 anos, luto por isso.
Enquanto isso, falo para o ar ou para o meu avô que acredito que esteja sempre presente, pelo menos no meu coração está, em busca de sábios conselhos ou apensas uma luz no fundo do túnel.
Não sei se resulta ou não, vou acreditar que sim, mesmo sem resultados iminentes, pois naqueles dias mais difíceis faz-me sentir ligeiramente melhor.