Avançar para o conteúdo principal

Trabalhar num Call Center




Sempre disse que não queria trabalhar em Call Center. Nunca tinha trabalhado num, mas os testemunhos que chegavam até mim eram bastantes negativos. Contudo, tinha uma amiga que me "entusiasmou", que me disse que ali era diferente dos outros lados e eu lá decidi mandar o CV.
Fui seleccionada, comecei os dois meses de formação e de facto a coisa não pareceu ser assim tão má, nem mesmo no primeiro mês de trabalho. Porém, comecei a verificar que à medida que ia deixando de ser novata, as pressões iam aumentando. Ou era o tempo que demorava nas chamadas, não podemos alongar muito mais dos 5 minutos (e isto já na loucura), ou o tempo que tens de pausa. O horário também começou a ser desgastante, pois entrava as 16h e saía à 1h, basicamente deixei de ter vida própria. Até que no meio de Dezembro fui presenteada com uma bela otite, daquelas que já não me lembrava ter. Estive quase duas semanas em casa para a curar, ainda a meio da baixa tentei ir, mas apenas aguentei duas horas (que não me foram pagas).
Foi nesta altura que decidi passar para Part-time, enquanto não arranjava outro trabalho e podia ser que a coisa fosse mais tolerável. Só que não é.
(In)Felizmente, em Fevereiro, fui operada ao joelho e estive dois meses em recuperação. E nesses dois meses, voltei e parece que voltei em guerra com eles, pois existem uns problemas com os meus recibos e baixa e eles estão com pouco vontade de me resolver a situação. Entretanto, não me deram tempo de me actualizar com a informação que actualizou e parece que a pressão ainda é maior. Até por ter ido 10m mais tarde a intervalo já fui chamada à atenção! E os tempos! E porquê que não impinjo coisas parvas a velhinhos e afins!
Estou mesmo a chegar ao ponto de ruptura. Tenho ido a entrevistas, mas nenhuma deu frutos. Todavia, já tomei a decisão que é só até ao final do mês ali. Quer sejam eles a despedir-me ou eu a demitir-me, pois cheguei à conclusão que não são 2,74€/hora que justificam a perda da minha sanidade mental ou a destruição do meu sistema nervoso.  


Comentários

  1. Acredita que sei mt bem o que dizes. Eu ttavalhei num durante 8meses e foi simplesmente horrivel

    ResponderEliminar
  2. é muito difícil trabalhar em call-center :(
    espero que arranjes algo melhor depressa!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Porque o vosso comentário vale mil sorrisos!

Mensagens populares deste blogue

Resumo da minha vida #1

Infelizmente, fechei a minha lojinha, contudo ainda não desisti dela;Voltei para o Porto;Trabalhei um mês numa loja em 2º mão e mandaram-me embora por ter dado uma resposta torta à gerente (e foi merecida!). Vocês não imaginam a falcatrua que aquilo é!;Comecei a trabalhar num Call Center e estou prestes a dar um tiro nos miolos;Fui operada ao joelho e estive dois meses em casa;Voltei ao Call Center e estou em guerra declarada com eles;Inscrevi-me hoje no ginásio a pedido do ortopedista.Muito emocionante a minha vida. Estou aqui a pensar qual destes tópicos hei-de desenvolver no próximo post. Querem deixar sugestões?

Tempo

Temos pressa do tempo.
Pressa para ir aqui ou acolá.
Pressa para que chegue aquela hora ou aquele dia.
Pressa que o tempo nos cure.
Pressa de tudo e de nada que até nos esquecemos de saborear o que o tempo nos dá enquanto não se apressa.
Eu tenho pressa que o tempo passe, não sou diferente dos outros. E adorava saber ter calma e aproveitar os minutos lentos. Talvez um dia o venha a saber, quem sabe,
Sei que num coração partido, o tempo é o melhor amigo como também nos traz uma impaciência por ser demasiado lento.
Há dias melhores, há dias piores, mas os melhores são sempre aqueles que nos abstraímos do tempo e saboreamos o que a vida nos dá, mesmo sendo nas pequenas coisas.
Portanto, que 2017 me traga a sabedoria para apreciar o que o tempo demora a trazer, para no fim, dar-lhe valor.